segunda-feira, 28 de abril de 2014

Série Gabriel Malagrida

Ciaou irmão,

Sou Gabriel, na terra fui conhecido como Gabriel Malagrida, filho de católicos italianos nascido no ano de 1689 numa pequena vila próxima a Roma.

Desde muito cedo interessei-me pelos assuntos espirituais. Já na adolescência trocava cartas com outros irmãos interessados em dar sua vida à Jesus.

Meus pais faleceram ainda jovens, sem esperanças melhores na Itália percorri a Europa na tentativa de servir a Deus. Recebi o sacerdócio e estudei muito.

Descobri que, como jesuíta, poderia ir ao Novo Mundo. Idealizava comunidades de homens primitivos, para com eles a aprender o intercâmbio espiritual.

Ouvia falar, em manuscritos, de muitos feiticeiros que viam, ouviam e dançavam com os mortos. Eu, muito curioso, queria muito aprender os rituais e conviver com essas pessoas.

Andei pelas matas desse Brasil. Visitei muitas tribos indígenas, deste Belém do Pará até o Cariri. Conheci pajés, feiticeiros, dançadores, benzedeiras e rezadores. Frequentei terreiros pelo sertão a fora, aprendi a delicada arte da comunicação com o mundo invisível, o que desejava a muito tempo.

Hoje vejo que valeu muito a pena. Conquistei esse patrimônio de saberes espirituais e gostaria de passá-los adiante, se me permitirem, para que possamos refletir.

Assim ofereço esta "série" de mensagens que serão psicografadas pelo rapaz. Como antigo Jesuíta, já fui sacerdote e, como ser humano, já fui forte intermediário, auxiliando e ajudando na construção de novas casas de amor e caridade, nesta época assumi o nome de Caboclo das Sete Encruzilhadas, o que muito me fez feliz.

E, finalmente, no ano de 1761 dei minha vida por Jesus, martirizado na fogueira de Rossio acusado de herege, após longo tempo no garrote. Hoje sou servidor humilde, completamente feliz, em especial por compartilhar o amor que construí das tendas dos meus caboclos.

Muito cordialmente,

Gabriel Malagrida, o Caboclo das Sete Encruzilhadas.



quarta-feira, 23 de abril de 2014

Conspiração para o Bem

Oi Mensageiro,

Estamos felizes com o progresso realizado, mas ainda existe longo caminho a percorrer. Com a batida incessante na tecla do saber, somos conduzidos a patamares elevados de conhecimento e inspiração.

O acúmulo de todo esse conhecimento não deve ficar relegado à inutilidade. Para isso é preciso regar com o suor da instrução as plantas que recém germinam, no campo dos filhos pródigos que do Pai se afastaram.

Não se afobe. O tempo mostrará quais os melhores caminhos para tal missão, basta manter a fé e os pensamentos elevados junto do Senhor Jesus que, como Mestre de Amor e Sabedoria, te aparelhará de inspiração e intuição na obra da caridade e da beneficência.

Somos todos comprometidos. Após séculos roubando sorrateiramente da consciência divina, nós outros, quais infames a desprezar as leis de Deus temos que pacientemente devolver tudo o que tomamos para manter o equilíbrio do universo. Irônico, não é?

Essa é a realidade de quem busca se melhorar. Devolver tudo o que tomou, com paz e humildade, resignação e simpatia, para que algum dia receba o galardão do penitenciário que ganha a liberdade por bom comportamento.

Não se esquive ao trabalho edificante. Aí, na terra, tens a oportunidade de saturar as dividas e começar a receber as provas que vão aprimorar teu espírito para os trabalhos futuros.

No estudo te instruirás;

Na luta te fortalecerás;

Na verdade te manterás;

Na tempestade triunfarás;

Na ofensa perdoarás;

Na calúnia compreenderás;

Na dor consolarás;

Na tristeza alegrarás.

Pois quando te faltar algo, muito te será dado; mas se quando a outro faltar e te negares a dar, até mesmo o que tens te será tirado. É dando que se recebe, sem nada em troca esperar. Mantenha-se em oração.

A Paz de Jesus,

Príncipe Romualdo, de uma estrela distante.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Crede-me

Filho,

Inspirai o bom ânimo. Evite momentos de discórdia e animosidade, nestes instantes sempre está presente o Espírito da contrariedade.

Fazemos o bem sempre em ponderação de nós mesmos. Somos alvos fáceis quando estamos vulneráveis, por isso mesmo, cuide-se. Acredite sinceramente naquilo que ensinas, são as mensagens do altíssimo, que nunca cessam de ser enviadas aos homens de boa índole.

Irmão, jamais se envaideça. Não se permita vislumbrar ou requisitar qualquer prêmio supostamente merecido. Somos aquilo que somos e sempre seremos melhores se nos esforçarmos.

Os sonhos são reais. Crede-me. Em cada sonho uma lembrança. Vidas passadas latentes, desejo e repulsa. Para nos instruirmos e observar que muitas vezes a rejeição é simples resultado dos nossos atos impensados.

Somos resultados inevitáveis daquilo que fazemos e praticamos. Ninguém sofre por acaso. Precisamos entender Deus ao lado de cada manifestação de sua face.

Ao pedir fé, te será dada a oportunidade de manifesta-lá;

Ao pedir coragem, Deus te dará situações realmente perigosas para exercitá-la;

Ao pedir paciência, Deus te oferecerá pessoas difíceis para que possas amar mais e gerar em ti a paciência.

Não se desespere jamais, o sofrimento só chega a quem merece. Graças a Deus que merecemos e Deus nos concedeu a oportunidade de melhorar.

Fica bem,

Adamastor e Péricles, amigos do teu avô.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Horizonte aflito

Boa tarde,

Vemos irmãos, com frequência, o abalar emocional dos seres humanos. Somos todos tão frágeis! As criaturas não percebem que o amor e o perdão são a chave da felicidade?

Sabemos que a atmosfera de vaidade, de presunção é um empasse ao comprometimento à prática do bem. Muitos são os aflitos, muitos. Seríamos nós capazes de aliviar as fortes dores dos nossos irmãos? Sim, seríamos.

Aonde estivermos, da forma que nos consideramos é hora de praticar a caridade. Ser indulgente e ofertar misericórdia. Estamos preparados para essa empreitada, Jesus a muito esperava por nós.

Vestir a alva túnica do amor. Aceitar a árdua tarefa de esclarecer. Criar novos caminhos em horizontes aflitos, eis a nossa dádiva.

Somos o ramo da videira que brota e floresce, prontos a explodir em cacho de suculenta vinha. O tempo é nosso aliado, respeite-o e ele o respeitará.

Qual árvore frondosa de luz, eis que a soberba já não mais te pertence, vês que falece mais e mais o orgulho que a menos de uma década te devorava.

Faz o bem, aonde estiveres, com quem estiveres. Não se permita esmorecer na jornada, busca o Reino dos Céus e o resto te será acrescentado.

Jerônimo, auxiliar do Espírito Bom Ânimo.

terça-feira, 15 de abril de 2014

O capital

Queridos compatriotas,

Venho, por meio desta, vos esclarecer sobre o capital. Errava eu ao acreditar que capital era dinheiro, não, não é. É, na verdade, uma armadilha tão pior quanto.

Minhas posses me conduziram ao limbo do umbral, tão facilmente como se guia um cãozinho pela coleira. Fiquei cego, meu patrimônio inflou meu orgulho. Eu tinha tanto amor próprio que não via o mal que fazia aos que me cercavam.

Tive escravos, tive serviçais, tive muito dinheiro e presenciei muitas honrarias em meu nome. A casa grande, sempre lotada de interesseiros intrépidos, resistia às orações da minha concubina, muito católica.

Surrei, esbofeteei e humilhei serviçais. Eu estava tão apegado aos bens materiais e à falsa impressão que eles traziam que sucumbi fatal ao atravessar o leito tumular.

O patrimônio que acumulei, diziam, abasteceria dez gerações da minha prole. Ledo engano, tudo se desfez com a morte.

Tive capital para comprar terras, mas nunca conheci a gratidão;

Tive dinheiro para adquirir peças maravilhosas, mas nunca conquistei um sono tranquilo;

Tive posses a perder de vista, mas não conseguia conquistar a tranquilidade no coração.

Passei por duras provas e, depois de reencarnar duas vezes como mendicante, vejo com clareza a necessidade de aprender a amar. Hoje me sinto um pouco melhor, aprendi o sentido da piedade e da compaixão, entendi o mal que fiz e estou na luta por reparar cada erro.

Vejo naquele que outrora esbofeteei, a doce dama que me prepara uma vianda.

Vejo naquela que outrora abusei sexualmente, o transeunte que me cospe na cara e urina sobre meu corpo imundo.

Vejo naquele que outrora usurpei a vida, o proprietário da loja que me expulsa do seu alpendre.

Preciso dessa humilhação para poder vencer a expiação! A se eu tivesse seguido os mandamentos de Jesus, teria sido bondoso e caridoso desde o princípio.

Aviso-vos irmãos, cuidado com o capital, a fortuna é uma provação perigosa.

Muito cordialmente,

Gonçalves Chaves, estancieiro arrependido

A coragem é uma escolha

Irmãos,

Muitos de vocês tem se perguntado sobre a capacidade de enfrentar situações realmente difíceis. Eis algumas dicas que podem ser uteis.

No limite das forças físicas não há sempre uma mão forte que o sustenta? Qual o problema de pedir ajuda?

Quando o cansaço, físico e mental, atropela a vontade, não existe sempre aquele conselho amoroso que recarrega as energias? Qual o problema de escutar com mais calma?

Nas fases de densa tribulação, onde nos encontramos visivelmente perturbados, não encontramos sempre um amigo que nos ampara com o socorro imediato? Qual o problema de fazer mais e mais amizades?

No sufoco asfixiante do dia a dia não encontramos, quase sempre, um espírito desalinhado que nos assombra e nos consome? Qual o problema de oferecer o perdão incondicional?

Os detalhes da convivência são a lousa da escola. Aprendemos com o convívio e as fragilidades, quais máquinas inteligentes na busca da própria melhoria autônoma.

Os nossos medos são sementes de desgraça, saibamos amar mais e ter no coração as dádivas da esperança, sem maldizer ninguém, sem violentar o mundo com nossa presença angustiante.

Que sejamos luz em cada passo, em cada sorriso, que a inspiração nos ceda espaço na mente para poder orientar, cada vez mais, os irmãos na terra.

Cante e seja feliz, não deixe a vibração oscilar.

Krishna torce por nós,

Namastê, Brahma Gurudev

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Em tudo dai graças

Essa frase é bem difundida entre os cristão. Mas aqui queremos colaborar um pouco, com o intuito de auxiliar a compreensão espírita da sentença.

Quando agradecemos, declaramos a nossa humildade. Dizemos, claramente, que apreciamos o que nos é dado. Reconhecendo o esforço despendido para o evento ou objeto que recebemos.

Ser grato por algo é demonstrar satisfação na dadiva que lhe é ofertada. Agradecer com sinceridade é estabelecer um laço de reconhecimento. É uma espécie de fluído retribuído. A gratidão, por isso mesmo, tem um efeito moral.

Esse efeito é traduzido em bem estar. Ambas as partes saem satisfeitas com uma demonstração profunda e sincera de gratidão. Quando se é grato, se movimenta energias do bem, salutares e reconciliadoras.

Devemos agradecer pelo ar, pela luz, pelo alimento, pela moradia, pelos calçados, pelos aromas, pelas nossas crenças...

Ser grato é ter a consciência de que o que nos é dado pode ser tirado. Agradecemos em humildade, sabendo que muitos não possuem nem a metade do que temos, não só em termos materiais, mas em termos morais.

A gratidão é uma alavanca propulsora da nossa estabilidade moral. Nos ergue a cada instante. Ser grato é devolver, com amor, as ofertas de carinho que somente Deus pode distribuir.

Agradeça pela alegria de viver.

Att.

Plísius, guia

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Conquista Espiritual

Queridos e devotados irmãos,

Por ande andais, eu também já andei.

Precisei de muita fé e coragem, para ir aonde eu fui.

Desanimei, desmotivei e quase desisti.

Mas quando percebia trevas, lá estava eu auxiliando e apaziguando.

Venci os entraves da língua. Submeti entidades mesquinhas ao crivo de Jesus.

Lutei uma batalha por dia, sem esmorecer, cantando e louvando a Deus.

Recebi, como missão, a catequese dos gentios na América.

Muita paciência e auto-controle marcaram a minha jornada.

Fui ameaçado, espancado, agredido, amarrado e cuspido.

Não permiti, jamais, que a mágoa e o ódio adentrassem meu coração.

Mantive-me atento no zelo da missão que me foi confiada por Jesus.

Não vacilei um só instante. Preguei, amei e orei.

Batizei muitos que, sinceramente, se entregaram a Jesus e praticaram sua doutrina de amor.

Levei a fé em Cristo mais longe, ajudei na propagação da Boa Nova.

Um certo dia, também fui chamado para servir na pátria celestial.

E percebi, com o tempo, que a única coisa que conquistei foi o meu próprio Espírito.

Hoje posso dizer com alegria em meu coração: dei a vida por Cristo e sou Servo de Jesus.

Espírito Montoya, Servo de Jesus nos campos de uma escola Jesuíta.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Lidando com pessoas difíceis

Oi Mensageiro,

Esta é uma questão delicada. A diversidade de pensamentos existe, justamente para o avanço e evolução do Espírito imortal. Essa talvez seja a razão de todo o melindre: o receio de evoluir.

Um bom argumento, fundamentado na razão e no bem, sempre prevalecerá ao astuto maligno que, ao tentar impregnar suas informações fúteis, será compelido ao descaso e a insignificância.

Nos momentos de conflito com mentes perturbadas é preciso manter-se em oração e caridade. O perdão é um escudo incrível. A pessoa ataca, mas a dádiva do perdão faz do ataque mero acontecimento sem importância.

Por não se estar competindo por nada, não se magoa. É simples, palavras não atingem o espírito humilde, livre da exaltação de seu personalismo.

Devemos, é claro, sempre fazer o bem na prática incessante.

Livre-se do desejo de contradizer alguém. Os ânimos sempre se acirram quando o orgulho entra em jogo. Não tenha o privilégio da verdade, nenhum de nós a tem. Aceite a teimosia do irmão ignorante como aviso para "recolher-se" e troque logo de assunto.

Fique na paz,

Damião

Dame tus ojos

É irmão,

Estamos num ponto muito delicado e sensível. Conheceste a verdade e a verdade te libertou. Estamos muito felizes e gratos pelo trabalho realizado até o momento.

Pense em todo o bem que podes fazer de hoje em diante. Nosso coração transborda de alegria quando te encontramos assim, emocionado e apegado ao amor de Jesus, é uma vitória que não temos como descrever.

Só o teu espírito conhece. Fostes mudado pelo amor, e te daremos o que precisares, na medida de tuas necessidades. Continue trabalhando, estamos sempre ao teu lado.

Ajuda-nos, agora, a reerguer os demais irmãos que ainda jazem encharcados no lodo da ignorância. Queremos tua mão forte e tua inteligência, tua bondade e misericórdia trabalhando na leiva de Jesus.

Não se abale, não se envaideça. Se o orgulho te rondar, procure imediatamente a senda da humildade.

Luz, muita luz!

Amém,

Plísios e Elésias, servidores de Jesus.

terça-feira, 1 de abril de 2014

Senhor Jesus,

Joguei-me em nova tarefa. Estava na minha frente e não via. Eu entendo, meu bom Senhor, que fui chamado, à muito, ao teu trabalho.

Inspira-me na nova jornada, para que nosso mensageiro possa mais e mais, consolar do que ser consolado. Precisamos de apoio e ajuda Senhor, é um momento delicado.

É a hora de auxilar em ampla escala Senhor, são muitos os desvalidos. Precisamos de ti nessa árdua tarefa de orientar e mostrar o caminho. Não somos ninguém, é claro, diante da Tua grandeza. Mas nos colocamos à tua inteira disposição para servir a quem quer que seja.

Deixa-nos usar as ferramentas tecnológicas para iluminar o caminho dos que só tem isso para queixar suas mais profundas dores. Tudo em nosso caminho é Teu e Tu és, por si só, o obreiro desta empreitada.

Somos Teus instrumentos, ajude-nos a levar à uma parcela da população o consolo e a orientação tão necessária nos dias atuais.

E tu, mensageiro, te mantém em sintonia, mais e mais, para que possamos captar dos céus os recursos necessários para o trabalho santificante.

Não se permita errar, não se deixe enganar;

Não se permita mentir, não se deixe obliterar;

Não se permita pecar, o mal caminha ao lado do insensato.

Deus nos proteja e te guarde de todos o mal.

Abraços,

Apleael, teu guia.