quinta-feira, 31 de julho de 2014

Alicerces da alma

O saber é inútil sem a experiência. Valorizar os momentos simples da vida, eis o que lhe faz sábio. É vivendo que aprendemos.

A paciência é inútil em isolamento. Somente no convívio social, diante da discórdia e da ira, é que podemos todos exercitar a paciência. Paciência é forma mais plena de caridade.

A caridade é inútil sem piedade. Somente com um profundo sentimento atrelado ao ato é que a caridade ganha sentido. A piedade é ação motora, diante da ignorância e da miséria, sem ela a caridade não tem sentido nem emoção.

A humildade é inútil sem amor. Somente a humildade exercita com o amor ao próximo é verdadeiro, bem sentida e real. A humildade por amor de si mesmo, é hipocrisia e falsidade, falsa modéstia.

A coragem é inutil sem fé. Somente a fé pode trazer uma coragem inabalável ao que raciocina. A firme coragem, calcada na fé da consciencia de si mesma, leva o indivíduo além dos limites da matéria, arremensando-o nas realidades do fluído.

O perdão é inútil sem compreensão. Só perdoa quem compreende a situação do outro. Quem entende sinceramente a perturbação do outro e sua situação interna. Se você está em paz, respeite quem está em tormenta, perdoando-o.

Desejosa de muita coragem na Terra,

Jezabel, servidora da Verdade

terça-feira, 29 de julho de 2014

Acalme-se e resigne-se

Querido mensageiro,

Vemos o que estás passando. A natureza da prova, a limitação da moeda é muito natural. Perceba que precisas lidar melhor com o dinheiro. Neste momento, então, se faz o exercício da escassez para que possas educar-se através da humildade e da simplicidade.

O caminho da verdade é o mesmo da simplicidade, da pequenêz de si mesmo, da humildade pura. É importante que te assentes nos últimos bancos, que não busque exaltação, que não queira o destaque. Resigne-se.

Quando a crise financeira nos atinge, apenas uma mensagem é tranmitida. O desapego aos bens terrenos. Todos os grandes Espíritos, que tiverem um corpo na Terra, foram livres da moeda, desapegados mesmo.

Entenda que a limitação de recursos é temporária. Você precisa deste momento para refletir e aprender a economizar. Você precisa confiar que Deus provê. Nada vai lhe faltar. Ao seareio do bem, fome jamais vai passar, é preciso porém, aprender a lidar com o pouco, amando o que se tem e buscando sempre o trabalho santo.

Estamos trabalhando para que este desânimo passe, as vezes é uma companhia, as vezes é uma insegurança. Confie na obra de Deus e jamais se sentirá abalado. Lembre-se, você é um arquivo mental, erradie amor e o amor te abraçará evitando as quedas dolorosas.

Lembre-se que somos Espíritos imortais tendo uma experiência no corpo.

Teillard de Chardin, teólogo renascido através da morte do corpo

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Aconteceu...

Essa é, na grande maioria dos casos, a desculpa do(A) adúltero(a). Aquele que trai se esquiva na máxima do "aconteceu..." como que se algo mágico os conduzi-se ao lítigio, contra a própria vontade.

Aconteceu, diz a traidora, adúltera, flagrada em conlúbio com o amante. Da mesma forma, aconteceu... diz o amante inebriado em frente ao revolver fumegante do marido raivoso. Tolos, tolos pela ignorância. Digo-vos agora, o que realmente aconteceu:

Aconteceu que trocastes o amor da tua vida por um ilusão;

Aconteceu que trocastes a esposa santa do lar por uma noite de prazer;

Aconteceu que te flagraram em perjúrio crimonoso em que o único responsável é você mesma;

Aconteceu que a moral que era para te guiar os passos, foi esquecida, e caistes em perversão;

Aconteceu que perdestes o respeito por ti mesmo, deixando que os outros te condenem a seu bel prazer;

Aconteceu que priorizastes o prazer da carne, em oposição à felicidade do Espírito, a isso responderás;

Aconteceu que magoaste a muitos, através de uma escolha errada e maldosa, pelo simples desejo de possuir outra carne.

Irmãos, rogo-vos, não caiam em tentação. Desconfiem das provas, pois sua natureza é testar-nos moralmente, não sucumbam no teste de Deus.

Jamais traia alguém, a traição é chibata em si mesmo, é engano. Só perde aquele que fez a escolha infeliz. O traído, apesar de profundamente magoado, seguirá adiante, consciente de que tudo fez pelo amor que devotava. Consciente de que Deus a tudo observa e a tudo regula.

Quem ama, não trai.

Com amor,

Valentino, Protetor dos Amantes.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Em busca do melhor

Somos acometidos a todos o instante por Espíritos que buscam se melhorar. Encarnados ou não, buscamos todos uma oportunidade de aprendizado. A experiência, portanto, só vem com a vivência dos momentos dramáticos e felizes da vida. Jesus, porém, nos esclarece sobre o caminho estreito. Raciocinemos:

Na estrada estreita, no caminho espinhento, apertado e esburacado encontramos tribulações. Mas porque somente através das vicissitudes alcançaríamos as glórias do Pai. Jesus, é bem claro, os aflitos serão consolados, os que choram um dia voltarão a sorrir. A lógico é bem nítida e talvez funcione assim:

O ferro só verga, mediante calor escaldante.

A semente só germina na quebra da casca, assim como só exercita-se a paciência mediante agente provocador.

Não há efeito sem causa. A dor força músculos a crescerem. A dor moral exercita a compreensão de si mesmo.

O sofrimento é único movimento da natureza capaz de promover a reflexão.

Quando o fogo toma a savana, nova brotagem aparece.

Folhas secas adubam o solo. Visto que sofrer é renovação. Sofre apenas aquele que merece.

A dor então, só chega a quem realmente merece uma renovação, porque buscou e pediu com sinceridade e fé. Em a natureza, tudo o que passa pela crise da dor, acaba por renovar-se e evoluir.

Queixar-se, logo, não é uma atitude racional, para aquele que recebe as dádivas de Deus.

Com amor,







Caminho do amor

Mensageiro,

É amando, que somos amados.

É amando, que aprendemos a amar.

É amando, que recevemos amor.

É amando, que compreendemos as imperfeições.

É amando, que nos perdoamos.

É amando, que vislumbramos a criação.

É amando, que toleramos.

É amando, que somos pacientes.

É amando, que perdoamos os demais.

É amando, que buscamos esclarecer.

É amando, que brilhamos.

É amando, que suportamos dores da alma.

É amando, que calamos frente a ofensa.

É amando, que eliminamos a mágoa.

É amando, que percebemos Deus.

Paz!

Plínio Cerqueira, Espírito

Conhecer-se é melhor

O Espírita verdadeiro entende que:

É melhor calar, diante da ignorância;

É melhor ocultar, defeitos alheios;

É produtivo dizer, o que germinará;

É importante observar, exemplos salutares;

É fácil perceber, a dor do próximo;

É difícil aguentar, a própria dor;

É complicado ser sincero, mas é importante dizer sempre a verdade;

É muito fácil amar, a quem nos ama;

É mais difícil amar, que nos odeia;

É mais meritoso, amar a quem nos persegue;

É necessário amar, sem medir e sem julgar;

É animador perdoar, quando a ofensa imperar;

É melhor iluminar, onde só existe ignorância;

É melhor mesmo se conhecer, antes de julgar os demais.

Hermínia, Espírito

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Vida de Boiadeiro

Chetruá Cavalheiro!

Laroyê! Ocê conquistou meus sirviçu. Nóis quer ver o bem triunfar, e pois isso, defendemos com amor e coragem os cavaleiros interessados em resgatar osotro das sombras.

Tenho um chapéu de couro Sinhô, um laço e um berrante. Minhas ferramenta de trabaio. Homi nem muié vão li fazê mal. Eu conheci o Sinhô, ainda jovem, no Mato Grosso. Eu fui um grande matador de onça, pistoleiro e homi do mato. Trabaiava como capanga prus patrão das fazenda.

Recebi misericórdia da Virgi Maria para proteger ocê. Se depender de mim, ninguém se aproxima para te atacar, assuncê, eu defendo em nome de Jesuis. Eu protejo ocê por amor de boiadeiro, num se preocupa não, Deus é amor e protege quem faz caridade.

Meu laço e meu berrante tão a sirviçu docê! Chetruá!

Iscrito pelo mais novo protetor docê,

Chico Paca, Boiadeiro do Mato Grosso

Nota do Médium: Conheci esse Senhor em uma das minhas viagens ao Mato Grosso, próximo ao município de Sinop. Era muito gentil, amigável, mas com uma história impressionante. Na juventude havia trabalhado como pistoleiro e capanga de inúmeros fazendeiros. Como adulto passou a trabalhar por encomenda. No final de sua vida aceitava trabalhos para matar as onças que comiam o gado Nelore dos ricos fazendeiros sulistas.

Tomamos um café na casa de Chico Paca, ele nos mostrou fotos das onças e panteras que caçava, algumas de tamanho impressionante. Ele nos mostrou a arma, uma puma winchester cromada de 1892, trabalhada em aço forjado e ricamente decorado. Nos mostrou o laço e o chapéu de Boiadeiro. Tivemos uma simpatia mútua bem forte.

De um mês para cá, sinto a presença de Chico Paca, deve ter desencarnado. E hoje recebi essa mensagem. Fiquei muito agradecido, mesmo tendo consciência de que não mereço. Mas segundo o próprio Chico Paca, foi a mercê de Nossa Senhora, que autorizou o "sirviçu" para que ele expurgue algumas dívidas e me proteja das minhas.




terça-feira, 22 de julho de 2014

Oração, veículo da fé

Mensageiro,

Esse é um tema muito delicado. Bem sabes o poder da oração, conheces. As palavras dirigidas a Deus, em pensamento ou pelo aparelho vocal, são mantras sagrados. Emitem, se postas sinceramente, o conteúdo da alma.

As palavras tem poder. E, como tal, se manifestam necessariamente como veículo de amor. A oração está em nossas vidas, como mecanismo de socorro, pois somos aturdidos diariamente, quando não o tempo todo, por energias ocultas, de origem negativa, que tendem a nos por pra baixo.

A oração, quando proferida com fé, serena essas tempestades mentais. Quando nos são direcionados pensamentos negativos, através de dardos peçonhentos e negativos, igual a plasma vaporoso que impregna o ar, a prece os rebate e os neutraliza, porque é sempre uma rogativa divina e Deus, como sabemos, nunca nos desampara.

Ore com fervor, e tudo ficará bem, no seu devido tempo. Então, quando resmungarem, quando se queixarem ou lamentarem perto de você, ore em silêncio. Emita ondas mentais de oração com Jesus. É uma forma muito boa de limpar a psicosfera das induções mentais pestilentas.

Outra forma, muito usada pelos médiuns ao redor do mundo, é a menção de Jesus. Espíritos imperfeitos temem o nome, e mesmo o repudiam em escárnio, outras vezes não suportam a presença brilhante do nome de Jesus. Então...

Quando te ofenderem abertamente em face, recite uma mensagem de Jesus;

Quando comentários maldosos rondarem a tua pessoa, proclame uma frase de Jesus;

Quando a pestilência do derrotismo te alcançar, anime através duma parábola de Jesus;

Quando a dor do ódio e do rancor te buscar, bloqueie através das bem aventuranças de Jesus.

Em qualquer momento que o sofrimento te rondar, cite Jesus. Espíritos tendem a reverenciá-lo ou a fugir acovardados.

Jesus convosco, obrigado irmão. Paz.

Romualdo Cerqueira, Espírito arrependido.

terça-feira, 15 de julho de 2014

Tudo passa!

Certo dia, ao andar pelas ruas deste bairro, senti forte desejo de matar-me. Disse um Espírito atormentado. Perguntei-lhe se poderia ajudar e ele disse: Não, quero desabafar.

- Como ex-suicida convicto, sinto um forte arrependimento, mas ainda não entendi como fui tão tolo, sem nem mesmo suspeitar da covardia que estava fazendo.

Asseverei que todos erramos e que as vezes, sem medo de julgar, somos compelidos a cometer loucuras sem fim. Ele disse que chorava muito e que todos o amor do mundo não o faria perdoar-se, porque cometera um atentado contra Deus. Novamente lhe disse que Deus é misericordioso, é de amor e perdão e que jamais se negaria a estender a mão a quem quer que fosse.

O Espírito de assustou e disse: Que Deus é esse? Capaz de amar até mesmo o mais ignorante da terra. Eu disse: Deus é amor, Jesus é verdade e O Espírito Santo é caridade! Ele, como que levando um choque, percebeu que os atos e as virtudes estão conosco sempre, capacidade de fazer o mal e a capacidade de fazer o bem.

O Espírito saiu cantando feliz, liberto da culpa que ele mesmo estava a açoitar, passou a não se julgar mais. Eu fiquei feliz, porque estava triste, ajudando-o, me ajudei, a felicidade que causei nele, de alguma forma me contagiou. Lição dessa tarde, o conhecimento vence o medo, o amor vence o julgamento.

Obrigado Senhor,
Um Espírito do bairro

Os frutos

Vede bem, meu caro irmão, precisamos vos explicar quais os frutos estás produzindo. A calma e a resignação diante das tormentas que te incumbem são frutos benéficos.

As explicações claras e salutares, mesmo que se debatam contra a ignorância e o orgulho, são frutos saborosos que um dia ão de largar sementes.

O esforço no bem, trazendo a fé e a confiança, a pessoas que jamais viste, este o fruto saboroso do desinteresse e da abnegação.

O carinho e a brandura para com teus familiares, aliada à uma paciência de Jó, este o fruto maior, mais suculento que um dia alimentará muitos pelo exemplo.

A mansidão diante das ofensas, temos visto grandes exemplos de vossa envergadura moral, ofensas essas que jamais suportarias a alguns anos atrás. Eis o fruto da evolução.

Tens sido desapegado dos bens materiais, não reclamas conforto, nem luxo, mas vives na simplicidade de quem nada possui, sabendo que poderias ter tudo, se agisse de maneira inapropriada.

Tens passado noites e dias pensando na família que não chega, nos dramas que te atormentam a alma, e mesmo assim não te queixas, não murmura e nem lamente, mas abençoa a espera, bem diz a Deus e tem fé no futuro, eis o fruto da esperança.

Tuas dores não chegam a te perturbar, nem rasgam mais o teu coração, pois nele há os doces ensinamentos de Jesus: a humildade e a caridade, eis o fruto do conhecimento e da leitura.

Vá com fé, sem duvidar, pois contigo estamos e não nos afastaremos.

Com amor, Plísius

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Uma nova Era

São chegados os tempos. Tempos de amor, tempos de doação. Na vida, singular forma de abrasão e desgaste para o nosso aprendizado, existem variantes emocionais singulares.

Quando amamos demonstramos um lado maravilhoso do ser humano. Poucos amam, porque exigem ser amados.

A melhor forma de doar-se é perdoando. Quando toleramos, sinceramente, uma ofensa ou uma calúnia, estamos doando para o equilíbrio do universo.

É um trabalho, uma caridade especial quando servimos a Deus através da tolerância às imperfeições alheias.

É preciso doar além dos limites de nossas forças, além do convencional, lembrando que Deus está sempre nos observando, sempre conosco, em todos os espaços.

Lutamos, no entanto, contra a ignorância, contra a falsa modéstia, contra as dores da alma que atormentam a cada ser humano. Vamos, com força, lutar contra as nossas próprias imperfeições.

Auxilando os demais, erguemo-nos, nós mesmos, das graves dívidas que criamos e acumulamos. Mediunidade é rica oportunidade de reequilibrar essas situações do passado, provando também, em exercício para o futuro.

Kardec é o instrutor das almas, ele que recolheu, dos bons Espíritos, a guisa de orientação para as almas encarnadas na terra.

Muita paz!

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Mensagem de Maria Quitéria

Oi Fio,

Seguimos ajudando. Estamos contigo, não tema. São muitas as dores na vida, poucas as curas e as consolações. Sejamos gratos a Jesus, por todo o auxílio prestado.

É preciso compromisso com a verdade. Dizer o que deve ser dito. Falar o que não pode ser ocultado. As palavras podem machucar, sabemos, mas não há nada que não possa ser dito adequadamente.

Trabalhe meu fio, o tempo é curto, doe-se e não se entregue o pecado dos vícios carnais, mas oriente conscientemente quem te busca o auxílio. O teu conhecimento será útil a tantos quantos sofrem na ignorância.

Manipularemos os fluídos para que possa fazer um bom trabalho. Para que possas instruir tantos quantos te procurem, mas com humildade e amor, sem arrogância e sem vaidade.

É preciso, portanto, estar atento e armado contra a presunção. Com o teu conhecimento, poderemos auxiliar muitos, para isso a doação e o amor, são fundamentais na construção do bem.

Estamos presentes, não se engane.
Abraço fio amado,
Maria Quitéria, amiga do bem e da verdade.

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Dura obsessão

Mensageiro,

As vezes nos deparamos com situações deprimentes. Sabemos, logo de princípio, que pessoas gravemente comprometidas com o equilíbrio cósmico, precisam expiar suas dívidas e exercitarem-se para o futuro. Verás isso. Presenciarás e entrarás no lodo com eles, isso é normal. O resgate é assim mesmo. Os miasmas, ou odores pestilentos, as dores e os insetos asquerosos fazem parte de um mesmo cenário umbralino.

Tudo tem um limite claro na vida de um trabalhador de Jesus. Consegues perceber agora, a força de tua luz? Porque retroceder, se já recebeste o tua fatia de dor?

De onde vislumbramos o manto de Jesus vos cobre, com amor e consolação, acaso não recebestes a cada manhã um sorriso lindo dos que te amam? Tens aprendido a perdoar e a não reagir as ofensas, entendes agora a essência do revide, que não faz mais parte do teu coração. Olha o quanto mudastes, sinta na pele este novo homem.

Imponha-se, com moral elevada, auxiliando quantos te procurem. Fazer o bem, sem julgar, sem criticar e jamais se lamuriar. Kardec é o professor que pediste, Jesus o remédio para as doenças, tens tudo e não vais compartilhar nada? É hora de doar mensageiro, de instruir e amar, de falar com amor e naturalidade, se ser você mesmo.

Livraste dos graves entraves das duras obsessões que te atormentavam. Evite que outras novas apareçam, preserve a tua casa e a tua vida. Faça o bem, aonde quer que estejas, perdoando as entidades enfurecidas que contra ti se jogarem.

Confiamos em ti e por ti confiamos energia, ame mais e por ti trabalharemos.
Deus abençoe os trabalhadores do Bem.

Constantin, Espírito

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Quando fazemos o bem

Quando fazemos o bem, movemos energias insuspeitáveis. É como se agitássemos o borro decantado em vinho nobre. Essência máxima do fluído cósmico é vibrada no toque de amor. Não existe, queridos irmãos, nada mais puro. O pensamento elevado, guia do comportamento correto, é a base do processo benéfico.

O ser benevolente é, por si só, um ser brilhante, iluminado, esclarecido. Aprendeu a ser beneficente pela sua própria experiência, pagou muito cara cada lição que aproveita agora, muito provavelmente com dor, lágrima e muito suor.

O beneficente é o que há de melhor na corporificação divina, está apto a assumir o papel de mentor e guia, pois esquece de si mesmo, aprendendo constantemente a doar-se e a trabalhar na lavoura do Senhor.

Existe, portanto, um contraponto. O beneficente é atacado constantemente pelas forças do mal. Apesar de parecer injusto, não o é. Mentes malignas não aceitam e procuram atingir e denegrir todo e qualquer agente comprometido com o bem e o amor de Jesus.

São justamente esses ataques ao beneficente, se não reage, se não revida, que o fazem mais e mais forte e luminoso. Entende que o serviço está por fazer e todo aquele que o ataca também é portador de necessidades. O beneficente nunca está sozinho, e quando dizemos nunca, é nunca mesmo. Nem por um segundo fica desamparado, ao seu redor acumulam-se centenas, se não milhares de Espíritos bons a fim de o proteger e o inspirar.

Isso porque o trabalho é sempre coletivo, jamais individual.

Nos mínimos atos da vida o beneficente move forças que ele mesmo desconhece. O certo é que se encontra protegido pela misericórdia divida, se ainda é testado, pode ter a certeza absoluta de que se trata do fortalecimento da sua fé, nada mais.

Estava te devendo essa,

Com amor,

Elésias, um dos guias do mensageiro.