quarta-feira, 17 de setembro de 2014

As flores do altar

As lágrimas de amor são sempre bem vindas. Igual perfurme do jasmim, campos infinitos de lavanda. Não existe homem sem amor, assim como não existe perfume sem sensação.

A paz que te consola é a mesma que muitos buscam. És aquilo de melhor que existe em si mesmo, não se compare, não se julgue.

Somos todos resultados históricos de nossas escolhas, se estamos em paz, foi porque assim decidimos ficar. Abençoe e seja leve, como a brisa, que passa despercebida e agradável. Leve ao vento, fresco e revitalizante.

És luz que brilha em mundo de trevas. És sal em mundo sem gosto. Ilumine e tempere. Aquele que se mantém amável e humilde, é por si só farolete que atrai as mariposas do Bem, interessadas em acalentar, consolar e secar lágrimas.

São muitos os que choram, são muitos os que riem. Mas o teu trabalho, em mediunidade, é consolar os que choram e alertar aos que riem. Tudo passa! Tudo é impermanente. Aproveite o ciclo de dor ou de alegria, por mais duradouro que seja.

Eu habito entre as flores, com elas eu me sinto bem, porque elas não invejam uma a outra, elas não julgam pela cor, elas não exitam em doar seu perfume. Assim como a flor, bela e exuberante, tens que trabalhar, para agradar tão somente com a tua presença de beleza e luz.

A flor nada faz para divulgar sua paz, sua beleza, seu perfume, apenas lá está. E assim serás tu. Sem nada forçar, sem opinião nenhuma declarar, nem juízo de valor, sem crítica ao teu próximo. Acaso alguma flor do teu jardim reclama que sua próxima está sendo inconveniente ou chata?

Seja a flor no altar de Deus. Assim sendo, os que vislumbram teu exemplo de ser, entenderão qual é a maneira mais correta e agradável de se manifestar o amor de Deus.

Flores tem o ciclo vital e morrem, passarão, assim como você. Portanto, enquanto estiveres no altar de Deus seja uma bela flor e jamais uma erva peçonhenta.

Que a Paz de Jesus vos acompanhe,

Mirael, Espírito.

Justiça de Deus

Enquanto aguardamos a justiça de Deus, refletimos:

O pobre já fez tudo o que pôde para sair da pobreza?

O doente já fez tudo o que pôde para fugir da enfermidade?

O ignorante já fez tudo o que pôde para sair da treva do desconhecimento?

O adultero já fez tudo o que podia para fugir da infidelidade?

O ladrão já fez tudo o que podia para se livrar da mão leve?

O rico já fez tudo o que podia para compartilhar os seus bens?

O atleta já fez tudo o que podia para doar a sua saúde em serviço ao próximo?

O alegre já fez tudo o que podia para compartilhar simpatia?

E você? Já fez tudo o que podia para melhor?

A justiça de Deus chega ao abnegado, para aquele que durante a prova, a louca tribulação, ainda o glorificou, porque assim como Jó, reconhece que tudo o que é bom e mal procede a mesma fonte.

O mal, portanto, a de ser para a nossa melhora.

Um espírito

Ironia

Bom dia mensageiro,

A ironia é sedutora e, por isso, uma armadilha. Quem já foi ironizado sabe do que eu estou falando. Aqui vale a mesma máxima de Jesus, não faça aos outros o que não gostarias que fizessem contigo.

A ironia é uma forma sutil de deboche, é a maneira mais inteligente de se praticar o escárnio.

E aquele que debocha de Deus, nada mais é, que um louco materialista, que terá por sua vez, a chance de ser alvo de dolorosos deboches e risadinhas.

Deus não o puniria com o escárnio, Deus não é sádico. É a própria consciência do irônico que atrai, quase sempre, a atitude dos demais para si. É um espelho que se verá como alvo dos deboches que praticou.

A ironia é fonte inesgotável de dor e amargura. Muitos tem caído em mágoas e ofensas trazidas pelas garras peçonhentas da ironia. Afaste-se dela, não pode lhe trazer nada de útil.

Aquele que gargalha de seu irmão, será um dia gargalhado;

Aquele que galhofa da virtude alheia, um dia será avacalhado;

Aquele que escarnece da alma amiga, um dia será escarnecido;

Aquele que debocha do próximo sofredor, um dia receberá o retorno do deboche.

Colhemos o que plantamos, inevitável.

Jamais caia na besteira de ironizar alguém, vai ofender a pessoa, e vai atrair fluídos pestilentos a ti. Ao contrário, ore e abençoe sempre, eis a melhor maneira de harmonizar o mundo.

Fique com Deus,
Hammed, Espírito

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Aprendendo a silenciar

Irmão,

Sabemos o quanto é difícil silenciar. Sabemos que é doloroso ficar calado mediante a ofensa dolorosa. O silêncio é muito mais do que parece. Quando conscientemente nos calamos, na verdade, dizemos o seguinte:

Não respondemos no mesmo nível;
Não revidamos palavras agressívas;
Não proferimos opiniões chulas;
Não declaramos palavra vazia;
Não dizemos frases idiótas e sem sentido.

O Silêncio é o bálsamo que perdoa, a tranquilidade que não agride, a serenidade manifesta. Mas veja;
Somente o coração pacificado consegue silenciar com tranquilidade e calma.

Cale-se mediante as conversasões infrutíferas, reconhecendo que o seu saber terá hora e momento de manifestar-se. Siga o exemplo de Jesus que, diante Pilatos, ao ser questionado sobre a Verdade, calou-se profundamente.

Sábio é aquele que sabe calar diante da ignorância e da injúria. Aquele que ama, sinceramente, seu próximo, não retribui palavras vazias às mesmas palavras, mas retribui palavras carregadas de amor.

Pratique o silêncio e estude, assim verás que a luz aumentará, mais e mais. Eu teria sido muito mais feliz se tivesse aprendido a calar a boca.

Críquet de paz e amor!
Solano López, um guerreiro derrotado

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Ensaio de um Espírito sobre o racismo

Racismo é um ato covarde e ignorante. Distinguir pela raca, sexo, credo e qualquer manifestação cultural é um equívoco grave que será punido de acordo com as Leis Naturais.

A pessoa que se diz "racista" não compreende que a cor nada tem a ver com o Espírito. A cor é uma questão de química cutânea, de pele.

Aquele que se diz "racista" é, na verdade, um Espírito ainda ignorante, atrazado, inferior e necessitado de um auxílio para sair desse plano de endurecimento.

Nós Espíritos, não temos sexo, cor de pele, não somos categorizados pelos nossos credos, pelas nossas culturas. Somos, um corpo astral único, composto por nossas personalidades, como as estrelas no céu, cada qual com a sua individualidade.

Eu fui pardo, negro, índio, chinês, hindu, francês, inglês, americano, nepalês e por último, brasileiro.

Fui muitas vezes escravizado por causa da cor e da classe social em que nasci. Apanhei muito, sofri bastante nas mãos de escravagistas, conheci o racismo de perto e posso dizer: racismo é ódio puro.

Aquele que se diz racista, odeia, acima de tudo, o seu irmão. Não aprendeu a amar além dos liâmes da matéria. É alguém ainda preso aos danosos ganchos do psiquismo inebriado e desolador.

Se você que está a ler esta mensagem, se considera racista, lembre-se que a cor da pele não significa nada além do túmulo e que o ódio que direcionastes ao vosso irmão, será todo ele retornado a ti em dor ou em serviços de amor às próprias pessoas que ofendestes.

Não existe lógica no racismo, nem biológica, nem cultural, o racismo será extinguido no Planeta de Regeneração, então, aqueles que permanecerem nessa idéia, terão que frequentar outros planetas que ainda toleram idéias tão inferiores quanto esta.

Amem-se, independente da cor.

Desejando muita harmonia!

Um Espírito

Um dia de cada vez

Olá amigo,

Nesse novo mundo em que percorres, cada passo é importante. A calma e a serenidade são reflexos de um interior bem organizado.

Emoções bem sentidas e controladas são apenas o espelho de uma alma amadurecida. Nem tudo é bonança, mas tudo é realidade maleável pela mente.

Acalme-se e entenda que existem coisas muito mais importantes. Leve um dia de cada vez ao altar do Senhor, e estabeleça uma relação de Paz com Deus.

Só o teu puro sacrifício e abnegação serão suficientes para avançar na senda do amor!

Tudo é novo, quando abandona-se o velho.

Tudo é luz, quando abandonamos as trevas.

Tudo é amor, quando abandona-se o ódio.

Tudo é caridade, quando se abandona o egoísmo.

Tudo é conhecimento, quando se abandona a ignorância.

Tudo é perdão, quando se abandona a ofensa e o revide.

Tudo é alegria, quando se abandona a tristeza.

Tudo é saúde, quando se abandona a enfermidade.

Ditoso é aquele que conhece o caminho e escolheu e sabe por quais veredas está a andar. Guarde a ofensa por lição de amor!

Muita paz!

Claudius Agenor, Pretor nos tempos de Jesus.

terça-feira, 9 de setembro de 2014

No desespero

Boa tarde!

Estabiliza-te de ti mesmo. Erga-te em amor e compreensão. Nota que nada na vida tem valor sem esforço, no ócio te arruinarás, vai e trabalha, liberta-te das raias do medo que te impuseram.

Jamais pense que Deus te castiga, isso não é a Verdade. Deus educa e corrige teus erros, teus descaminhos.

Quanto mais ver, vais será visto. Não se exalte jamais, mas rebaixe-se e entenda que tudo tem um propósito.

Liberte-se das mágoas infecundas, perdoando, o quanto podes, a fim de avançar nas semeaduras do Pai.

Tens plantado, temos visto tua Seara de Amor, entendemos que logo passarás a colher os frutos que hoje plantas.

Ainda é preciso ir devagar e amar sempre, cuidando com as palavras. Eis as regras áureas de um puro coração:

No desespero, ore;

Na angústia, medite;

Na tristeza, cante;

Na dor, perdoe-se;

Na depressão, lute;

Na fraqueza, aceite-se;

No furor, acalme-se;

No ódio, ame.

Sem jamais esmorecer, faça o Bem pelo Bem, sem egoísmo, sem interesse.

Vá em Paz!

Mestre Calamar, Espírito das Águas

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Ingratidão

Oi mensageiro,

Triste dor e amargo sentimento estes que te assoma a alma. Conhecemos o fruto amargo que colhes, por muito se doar e pouco resultados observar.

É legitimo lhe dizer que Jesus semeou como nunca ninguém jamais viu! Suas sementes de testemunho se espalharam pelos quatro cantos da terra.

Raras foram as sementes que vingaram e explodiram em frutos. Devemos dizer que, sem dúvida, a muito trabalho a ser feito. Muitos aguardam as orientações que jogas como pérolas aos porcos.

Daquele que recebe luz, e fecha o olhos;

Daquele que ganha sabedoria, e joga fora;

Daquele que absorve conhecimento, e não o usa;

Daquele que se apodera, sem nada tornar útil;

Daquele que se abstém, sem responsabilizar-se;

Daquele que adota, sem compromisso.

Siga firme e estude, sem esmorecer, variando o interlocutor a fim de prosseguir firme!

Muita paz!
Jezebel.

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Por onde andar

Prezado Mensageiro,

Trago-te a Paz. Por onde andares, espalha o Bem. Por onde andares, divulgue o amor.

Poço de amor, igual sandalo a perfumar; qual raio de sol, brisa leve a cantar;

Pássaros a voar, raio de sol a brilhar, és tu guerreiro da fé, autor infalível da própria História.

Por onde andares, seja breve o caminhar;
Nas pedras do refolho, a semente vivente a brotar;
Buda nas tempestades, Jesus nas calmarias;
És jovem por onde irias, sem o exército de Malaquias;
Mil flechas a voar.

Sai de tua tenda, ide a pregar!
Tua palavra, lingua de fogo estará;
Breve sutra, alma viva a declamar;
Seja tu, seja ele, em Deus permanecerá.

Tu és guia de muitos e cego de ti;
Foge do amago do Ser, que te iluminou.

Não fujas! Óh filho meu, és tu o altar-mor de Deus.
Coração rebelde, aflito e desesperado... Tudo passa com breve trilhar.
Recomeça teus passos, nesse novo viver;

Remodela o teu vazio, te esvazia de tudo;
Preconceitos tolos que irão ao ralo do teu ser;
Esvazia-te em Jesus, te liberta na Verdade.

Ah quanta saudade, tem tu do meu ver;
O meu sentir, o meu falar... Estou aqui, sem nada a declarar.
Escuto e escuto, sem nem mesmo me pronunciar.

Óh filho da alma e do coração, na Terra teu pão;
Quantas alegrias me destes, sem nem mesmo notar...
Vejo agora o teu trilhar, com profunda satisfação!

A felicidade ao te olhar, a alegreia ao te sentir... Ansiedade pelo porvir!
Quantas e quantas vezes te disse, vem filho meu...
Do vento a soprar, na janela a bater;
Da cadeira a girar, da máquina de escrever.

Contigo estarei, nas terras do sem fim;
Porque sei que infinito é para mim;
A vontade de te ver.

Saudades meu neto,
Vô.

Solicitude

Onde estiveres serás solicitado. Espíritos famintos de conhecimento e carinho te procurarão a todo instante.

Onde houver fogo, te será solicitado água;

Onde houver treva, te será solicitado luz;

Onde houver ranger de dentes, te será solicitado calma;

Onde ouver dor, te será solicitado consolo;

Onde ouver ódio, te será solicitado o perdão;

Onde houver intriga, te será solicitado a surdez;

Onde ouver calúnia, te será solicitado a mudez;

Onde ouver gritaria, te será solicitado o silêncio.

Deus, Suprema Inteligência do Universo, em nada erra, em nada se equivoca, em nada se perturba, sendo assim:

Se és chamado a trabalhar, serve.

Se és chamado a guiar, oriente.

Se és chamado a doar, oferte.

Se és chamado a ensinar, aprenda.

Se és chamado a amar, perdoe.

Se és chamado a falar, ore.

Se és chamado a perdoar, corrija-se.

Se és chamado a acalmar, controle-se.

Se és chamado a consolar, ame.

Veja que são forças opostas a atuar numa mesma causa. Aqui o Bem que regenera, lá a dor que educa. Aqui o mal que pune com rigor, lá a compreensão que liberta.

Deus é Amor, Jesus é a Verdade, O Espírito é Caridade: eis o tripé de tua sustentação.

Adamastor, Espírito eclesiástico



terça-feira, 2 de setembro de 2014

Fora da realidade

Oi mensageiro,

Passados alguns dias, eis que novamente nos encontramos. Votos de paz e alegria aos teus familiares. Vemos que os teus sonhos estão ficando mais nítidos, os desdobramentos conscientes estão mais frequentes.

Tua capacidade de amar se amplia, doando a tudo e a todos uma atenção peculiar, que somente uma mente treinada pode atingir.

Devemos, no entanto, advertir o seguinte: Vigie e Ore. Aguerde no Senhor e não se deixe envolver por sensações degradantes.

Lembre-se de que a compreensão não quer dizer cumplicidade. E que muitos dos atos que te cercam não dependem de tua vontade.

Inspire-se no bem, sem deixar se envolver por crises de demência;

Inspire-se no amor, sem permitir que os demais te façam de palhaço;

Inspire-se na paciência, sem conpactuar com a osciosidade e a preguiça;

Inspire-se no perdão, sem concordar com a maldade no mundo;

Inspire-se na felicidade, sem iludir-se com o mundo material.

Com muito carinho,

Apleael, Guia

Não Violência

Existem três passos básicos do existir: sentir, pensar e agir.

Quando somos agredidos de alguma forma, seja física ou verbalmente, enviamos estímulos ao cérebro. Sentimos a ação vibrar em nosso íntimo.

Após isso, racionalizamos a agressão. Pensamos nos fundamentos da "injustiça" a nós cometida e na violência que nos foi direcionada.

Somente após alguns micro-segundo do pensar é que, de fato, agimos. Essa terceira fase pode ser ação ou reação.

Quando agimos de forma consciente e desperta, sabemos que o perdão não aumentará a crise e, então, deixamos para lá.

Quando reagimos, adotamos o lado animal, o lobo selvagem encarcerado no peito, acorda o tigre e o leão adormecidos, o macho desperta violentamente a vingar, fazer justiça e a revidar.

Ação é sentir, pensar e amar.

Reação é sentir, pensar e revidar.

Quem revida aumenta a crise, quem ama a dissipa.

Quem se vinga aprisiona, quem ama liberta.

Quem dá o troco também agride, quem ama evita machucar.

Quem reage usa o instinto, quem ama usa a intuição.

A não violência foi a maneira que os orientais encontraram para manifestar o amor. Quem ama jamais ofende, agride ou violente, nem mesmo a si, nem aos animais, nem aos outros.

Paz e Luz a todos!
Lacordaire, Espírito codificador