terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Diante da dor

Ninguém vem ao mundo para sofrer, nos matriculamos aqui para aprender. Se sofremos é porque ainda não aprendemos a amar, em humildade e caridade.

Olhe ao seu redor, é tudo perfeito na criação do Pai. E mesmo assim você insiste em Lhe atribuir a desdita infame. Ahh! Homens! Quanto a aprende e a renovar-se. Vejam, o mar, a lua, as estrelas. cada órgão do corpo material, cada sorriso de uma criança.

Alegrem-se homens. Jesus venceu a morte para lhes dar o exemplo da renúncia e da abnegação. Amem-se mais do que tudo. Deus é amor. Jesus é a Verdade.

Sejam pacientes e obedeçam o caminho que Deus provê, a alegria e a felicidade, eis a vida e o trabalho, qual leis sagradas que precisam continuar. Piedade e gratidão, calma e a perdão.

Aonde estás muitos não podem permanecer, mas para onde vais, todos terão um dia de ir. Fique firme na abstinência, preserva-se das loucuras da carne. Fique em paz!

Alipino Gonçalvez, um morte que reviveu.

As coisas mudam

Lembra de outrora, quando a dor vigorava e você apenas se contorcia em dor? Pois é, as coisas mudam.

Num tempo que te aprimora, no escolha da melhora, na senda do bem. Tudo muda, constantemente, tudo evolui, tudo progride.

te refaz em meio a novos tempos, construídos de forma estável e bondosa, seja amor e confiança, ergue-te em meio a mais brilhante sintonia de amor.

Em corações de pedra, planta a semente do amor;

Em mentes dominadas pelo mal, planta a vigorosa dádiva do perdão.

Mas acima de tudo seja paciente e reconciliador. Precisamos do teu exemplo de amor e serenidade, calma e tranquilidade.

Onde há vento, sempre existe destruição. Relaxe e tome a dianteira do caminho que Deus te propõe, obedeça, eis a palavra de ordem.

Muita paz!
JOSÉ

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Cresça com a adversidade

Olá cavalheiro do Bem,

Durante a tempestade, alguns cuidados precisam ser tomados. Em primeiríssimo lugar:

A calma: mantenha a serenidade firme e confiante, sem vacilar, usando o silêncio como escudo de defesa, sabendo que quanto mais falar, mais ficará comprometido. Então duas coisas podem ser feitas, já que não podemos evitar as palavras.

Use sua boca somente para abençoar, mesmo na adversidade;

Use sua língua apenas para bendizer, mesmo sendo caluniado;

Use seu discurso com o intuído apenas de elevar, mesmo diante de cenários pessimistas;

Use sua eloquência apenas para edificar, mesmo diante da crítica ferrenha;

Não se deixe iludir pelas palavras levianas dos que vos cercam, eles ainda irão passar pelo vale de dor. Vale que conheces bem.

Acalme-se, acalme-se. Não se permita abalar com eventos que não fazem o menor sentido.

Paz!

Abílio Fortunato, Ex-Secretário.